4 dicas para importar e não perder dinheiro com a alta do dólar

turned on light crane

Photo by David Dibert on Pexels.com

Flutuação da moeda norte-americana costuma assustar empresários que precisam comprar produtos em outros países

Com o dólar se aproximando dos R$ 4,00, as importações começaram a pesar mais no bolso dos empresários, que ficam preocupados se podem e até mesmo devem repassar esses valores aos seus clientes. Outra dúvida que surge é a de como manter negócios que dependem de produtos e matérias-primas compradas na moeda norte-americana. Ao mesmo tempo que o aumento na moeda americana impacta diretamente no valor das mercadorias e no custo final do processo de importação, surgem oportunidades que podem ser bem aproveitadas nesse momento.

O empresário Thiago Burbela, diretor do Grupo Casco Comércio Exterior e Logística, listou algumas situações que devem ser observadas no momento da negociação para não perder lucratividade. Veja as dicas:

1 – Faça um planejamento do que sua empresa vai necessitar de estoque, tanto de produtos ou de matéria-prima. Ao concentrar o número de pedidos em operações maiores, economiza-se o valor das taxas, que são fixas.

2 – Utilize o regime especial de entreposto aduaneiro que permite a alternativa de “liberações fracionadas”. Nesse caso, as mercadorias estrangeiras podem ficar armazenadas a um custo menor e com suspensão do pagamento dos impostos federais e outros tributos. É uma alternativa para evitar a descapitalização total da operação para aguardar o melhor momento para a nacionalização da mercadoria.

3 – Quando ocorre a valorização da moeda norte-americana, ela acontece no Brasil, mas também em muitos outros países. É uma oportunidade para tentar renegociar preços com os fornecedores estrangeiros, já que em alguns segmentos da indústria, a matéria-prima é toda importada e na cadeia produtiva isso pode afetar diretamente em repasses finais que outros importadores provavelmente irão fazer nas suas operações.

4 – Para os empresários que estão com o caixa financeiro saudável, a alta do dólar pode ser uma oportunidade para conquistar mercado, uma vez que importadores menores devem investir menos nesse período.

Fonte: Estilo Editorial – Danielle Blaskievicz <daniblaski@estiloeditorial.com.br>

Aprenda Comércio Exterior
whatsapp: 31 98411.8218
Anúncios

Planilha de importação é confiável?

cargo container lot

Photo by Chanaka on Pexels.com

PLANILHA DE CUSTOS NA IMPORTAÇÃO VALE A PENA?

Você tem interesse em entender como elaborar corretamente uma planilha de custos na importação?

Se a resposta é SIM então leia este artigo até o final que ele poderá esclarecer algumas coisas importantes pra você.

Elaborar uma planilha de custos na importação parece ser algo fácil e simples mas não é bem assim. Vou explicar.

Primeiramente você tem que considerar que existem várias formas de fazer uma importação, são elas:

Importa Fácil Correios

Remessas Expressas

Via árera

Via marítima

Via terrestre

Dentro destas possibilidades atualmente temos o regime de tributação simplificado – RTS, o regime de tributação unificado – RTU e o regime de tributação normal sendo que cada regime de tributação abrange um tipo de tributação específico a nível federal, como por exemplo, através do Importa Fácil Correios temos sempre 60% de imposto de importação e dentro do regime de tributação normal para cada código de classificação fiscal de mercadorias (código NCM) temos uma alíquota específica para o imposto de importação.

E além de avaliarmos o regime de tributação que se aplica ao nosso processo também precisamos considerar a carga tributária a nível nacional, sendo que cada estado do Brasil tem seu regulamento do ICMS próprio (RICMS) e cada estado define a base de cálculo e as alíquotas do ICMS para cada produto (NCM). E alguns estados do Brasil como Minas Gerais ainda cobram o ICMS ST – Substituição Tributária de muitos produtos importados e seria necessário saber também base de cálculo e a MVA – Margem de Valor Agregado.

Inclusive já vi planilha de custos na importação sendo distribuidas gratuitamente na internet que possui erro na base de cálculo do ICMS e não considera a base de cálculo de cada estado do Brasil.

E alguns estados como Santa Catarina oferecem regime especial para importação o que deve ser considerado também.

Então agora temos que considerar 3 regimes de tributação a nível federal e o ICMS que varia de acordo com cada estado do Brasil e que tem diversas bases de cálculo.

Se considerarmos apenas o ICMS podemos constatar que uma planilha de importação que seja oferecida de forma offline, ou seja, disponibiliza em um arquivo do EXCEL por exemplo não serve pra calcular corretamente os custos da importação pois esta planilha teria que considerar a base de cálculo e as alíquotas para todos os produtos e para todos os estados do Brasil e ainda deve estar atualizada todos os dias, ou seja, isso é uma tarefa IMPOSSÍVEL para qualquer planilha offline que não é abastecida e atualizada todos os dias. E também devemos lembrar que no regime de tributação normal para cada NCM haverá uma carga tributária específica e também seria necessário atualizar a planilha todos os dias. Então se você recebeu uma planilha em EXCEL ou outro formato que promete calcular milagrosamente, automaticamente e corretamente todos os custos do seu processo de importação, CAIA FORA pois esta planilha NÃO FUNCIONA e vai te passar uma projeção ERRADA dos custos REAIS do seu processo de IMPORTAÇÃO.

E outro detalhe é que a taxa de câmbio muda todo o dia e a planilha precisaria estar com a taxa de câmbio atualizada também.

Então agora temos as seguintes variáveis a considerar:

A planilha teria que abranger 3 regimes de tributação diferentes a nível federal.

A planilha teria que abranger o ICMS de todos os estados do Brasil e suas respectivas alíquotas e bases de cálculos.

A planilha teria que abranger a taxa de câmbio atualizada.

A planilha teria que abranger todas as formas possíveis de se fazer uma importação.

E além dos tributos mais conhecidos que são o II – Imposto de Importação, IPI, PIS, COFINS e ICMS a planilha também deveria considerar a taxa de utilização do Siscomex, o AFRMM – Adicional de Frete para Renovação da Marinha Mercante nas importações marítimas, taxa para a acessar o sistema MERCANTE e dependendo do produto ainda deverá considerar o Antidumping, CIDE e Medidas Compensatórias.

E até agora só falei dos tributos e não mencionei as DESPESAS NÃO TRIBUTÁRIAS que variam de acordo com cada modalidade de importação, por exemplo:

Análise de riscos de fornecedor no exterior

Despachante aduaneiro ou despesas com desembaraço aduaneiro pelos Correios ou pelas empresas de remessa expressa

Despesas aeroportuárias

Despesas portuárias (que são muitas)

Frete internacional e nacional

Seguro internacional e nacional

Inspeção de produtos na origem

Despesas bancárias ou despesas relacionadas a pagamentos

Outros tipos de despesas

Está claro até este ponto que para você conseguir relacionar corretamente todas as despesas não tributárias você precisa conhecer bem o tipo de importação que irá realizar e muitas vezes precisará da ajuda de um bom despachante aduaneiro e de um bom agente de cargas para ajudar levantar os custos do seu processo de importação que também vai variar de acordo com o INCOTERM usado no momento da compra junto ao fornecedor no exterior, como por exemplo no INCOTERM EXW você arca com todas as despesas na origem até o destino e no incoterm CIF o fornecedor faz o despacho aduaneiro na origem e contrata o frete e o seguro internacional. Então até isso você precisa conhecer bem pois se está fazendo uma compra EXW e a planilha não considera a composição correta do valor aduaneiro da mercadoria que será a base de cálculo de todos os impostos na importação, já começou tudo errado desde aí.

E finalmente vale lembrar que a planilha será sempre uma ESTIMATIVA e nunca apresentará os valores reais da importação, pelos seguintes motivos:

Você está planejando hoje uma importação que vai acontecer no futuro e no futuro valores de câmbio, frete e de outras despesas podem ou serão alterados.

Então o que quero mostrar com este artigo é que não existe uma planilha de custos na importação que seja simples e milagrosa e que calcula automaticamente tudo que você precisa. A planilha deve servir apenas de referência para você entender as possibilidades de importação e os principais componentes de custos, mas no final você terá que fazer contas e levantar despesas para fazer uma estimativa correta e se não conhecer ou não tiver experiência com importação a chance de você cometer erros e fazer uma estimativa ERRADA é ENORME, então sempre que necessário conte com a ajuda de quem realmente entende do assunto e tem experiência suficiente para estar fazendo isso.

Gravei dois vídeos no Youtube que explicam mais sobre este assunto, vou deixar os links aqui em baixo e sugiro que assista para entender mais.

Links:

Planilha de importação: https://www.youtube.com/watch?v=bj7muNuFw3k

ICMS na importação: https://www.youtube.com/watch?v=o-RauCOEQnk

E se quiser fazer um curso de importação que explica este e outros detalhes ou se precisar de consultoria para planejar corretamente sua importação, entre em contato comigo que poderei ajudar.

Contatos:

Site: www.cursosdecomercioexterior.com.br

Whatsapp: 31 98411.8218

Um abraço a todos!

Professor Henrique Mascarenhas

Auditores fiscais de Santos decidem continuar em greve

cargo container lot

Photo by Chanaka on Pexels.com

Os auditores fiscais da Receita Federal que atuam na Alfândega do Porto de Santos decidiram manter a greve da categoria até o próximo dia 15. Os profissionais ainda aguardam o resultado de uma assembleia nacional, que acontecerá na próxima quinta-feira (28), em Brasília.

Os auditores fiscais estão em greve desde novembro. Eles pressionam o Governo Federal a implantar o acordo salarial firmado com a categoria há mais de um ano. Entre os pedidos, está a implantação do bônus de eficiência dos servidores.

Aprenda Comércio Exterior
whatsapp: 31 98411.8218

Importação de produtos sob controle da Anvisa

people in front of macbook pro

Photo by rawpixel.com on Pexels.com

A Declaração do Detentor da Regularização do Produto (DDR), que autoriza a importação de mercadorias por terceiro, passa a informar a referência do licenciamento de importação.


Já estão disponíveis, no Portal da Anvisa, os novos modelos de Declaração do Detentor da Regularização do Produto (DDR). O documento autoriza a importação de mercadorias por terceiros em situações previstas em regulamento. Os novos modelos incluem a referência do licenciamento de importação que contempla os produtos alcançados pela Declaração.


O modelo de DDR que autoriza a importação por terceiro se aplica a empresas que realizam atividade exclusiva de importação terceirizada. Já o segundo modelo de documento – a DDR que autoriza a importação por terceiro para uso hospitalar ou em estabelecimento de assistência à saúde é aplicável a hospitais e estabelecimentos de saúde que realizam importação direta do produto, para uso na unidade hospitalar ou estabelecimento de assistência à saúde que preste serviço de terapêutica e diagnóstico, sendo vedado seu repasse para outro estabelecimento ou comércio.


A instrução do processo de importação deve ser realizada com documentos vinculados aos produtos indicados no licenciamento de importação constante no dossiê do sistema Visão Integrada. É vedada a apresentação de DDR com citações de produtos que não sejam alvo da anuência do licenciamento de importação em análise.


A DDR é um documento de extrema relevância no fluxo de análise do processo de importação, pois garante a ciência do detentor da regularização de que toda a obrigação sobre o produto em território nacional é de sua responsabilidade, não sendo possível tal transferência para outra empresa.

Fonte: Anvisa

Aprenda Comércio Exterior
whatsapp: 31 98411.8218

Curso de Importação em São Paulo

Curso Presencial de Importação Passo a Passo

Você quer aprender importar de forma legal e profissional com quem é expert neste assunto?

Então você está no lugar certo!

Curso Presencial de Importação dia 26/7 em São Paulo – 15ª turma

black sail ship on body of water

Objetivo: Capacitar o aluno para planejar e gerenciar os processos de importação de uma empresa. Este curso pode ser feito por pessoas e empresas que desejam importar produtos de qualquer país. O curso apresenta o passo a passo do início ao fim de um processo de importação, desde a habilitação da empresa na Receita Federal até a chegada da mercadoria no Brasil.

Este curso pode ser feito por qualquer pessoa, mesmo que ainda não tenha experiência com importação ou para quem deseja iniciar em breve um processo de importação para sua empresa.

Data: 26/7 – 15ª Turma

Horário: 8:00 às 12:00 – 13:00 às 16:00

Carga horária: 07 horas/ aula

Local: Avenida Paulista 1159, 16º andar, Cerqueira César, São Paulo – SP

Valor do curso: R$ 590,00 – à vista no boleto.

Material de aulas: Uma apostila impressa, um cd-rom com material de apoio (será entregue no dia da aula).

Após o término da aula presencial o aluno terá mais um mês para tirar dúvidas e para pedir orientações ao professor.

Certificado: Será entregue no final da aula presencial.

E quem será o meu professor? Professor Henrique Mascarenhas – Administrador de Empresas com Habilitação em Comércio Exterior, MBA em Gestão de Comércio Exterior e Negócios Internacionais pela Fundação Getúlio Vargas, Certificado em Estratégia de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, Certificado em Ética pela Fundação Getúlio Vargas em Parceria com a Universidade da Califórnia, Certificado em Didática do Ensino Superior pela Fundação Getúlio Vargas.

Inscrições pelo site:

http://www.cursosdecomercioexterior.com.br/cursoimportacaosaopaulo.htm

Whatsapp: 31 98411.8218

Programa do Curso

Incoterms – International Commercial Terms

Versão 2010: EX-WORKS, FCA, CPT, CIP, FOB, FAS, CFR, CIF, DAT, DAP, DDP

Habilitação da Empresa no RADAR

Modalidade de Habilitação e Procedimentos para Habilitação

Classificação Fiscal de Mercadorias

Sistema NCM/SH e TSP

Importação de Forma Direta e Importação de forma Indireta (Terceirizada)

Conheça os benefícios de importar de forma direta

Conheça os benefícios e riscos de importar de forma indireta

Importação por conta e ordem e importação por encomenda

Modalidades de Importação

Aprenda como importar via terrestre, via área, via marítima, através dos Correios (Importa Fácil) e por Courier

Logística para Importação

Marcação de Volumes, Modais de Transporte, Composição do Frete, Seguro, Tipos de Avarias, Tipos de Cargas, Tipos de Containeres, Tipos de Navios, Planejamento do processo de logística.

Cobrança de Demurrage na Devolução dos Containers e suas implicações judiciais para o importador.

Contratação de Seguro de Carga Internacional

Informações sobre como contratar o seguro de transporte internacional para as mercadorias que serão importadas, informações sobres os tipos de cobertura do seguro

Cálculo de Tributos e Despesas Incidentes na Importação

II, IPI, ICMS, PIS, COFINS, AFRMM, outras taxas e despesas incidentes no processo de importação

O aluno terá informações sobre como calcular os tributos e informações sobre as bases de cálculos.

Investigações e Defesa Comercial

Produtos que poderão estar sujeitos a processos de investigação comercial, salvaguardas, antidumping ou medidas compensatórias.

Estimativa de custos da mercadoria a ser importada

Orientações para elaboração de uma planilha de custos na importação para obter estimativa de custos da mercadoria que será importada, informações sobre as despesas tributárias e não tributárias que incidem na importação.

Despesas Incidentes na Importação

Planejamento das Despesas Incidentes no Processo de Importação

Tratamentos Administrativos na Importação

Importações sujeitas a licença de importação, Antidumping e Medidas Compensatórias

Modalidades de Pagamento na Importação

Pagamento Antecipado, Remessa sem Saque, Cobrança Documentária, Carta de Crédito

Situações onde é necessária uma carta de vínculo do fornecedor para envio de pagamento

Documentação usada na Importação

Fatura Pro-Forma, Fatura Comercial, Packing List, Conhecimento de Embarque, Contrato de Câmbio, análise de documentos

Despacho Aduaneiro

Noções do processo de despacho aduaneiro na importação.

Riscos existentes no processo de despacho aduaneiro de importações consolidadas na origem (de diversos fornecedores no exterior) e amparadas por um único conhecimento de embarque house

Importação Paralela

Referências jurídicas sobre a possibilidade de importar produtos de marcas conhecidas

Infrações e Penalidades Existentes nos Processos de Importação

Tipos de penalidades, multas, redução de multas

Sistemática do Processo de Importação

Passo a Passo do Processo de Importação

Localização de Fornecedores no Exterior / Localização de Fornecedores na China

Como localizar fornecedores no exterior, como localizar fornecedores na China, como negociar em segurança com os fornecedores encontrados.

Riscos envolvidos em uma operação de importação

Contato com fornecedores inexistentes, não recebimento das mercadorias que foram pagas, recebimento de mercadorias em falta ou com defeito, remessa de pagamento ao exterior sem recebimento da mercadoria, outras situações que possam afetar o processo de importação e que possam gerar problemas com a fiscalização.

Como Reduzir Custos e Riscos na Importação

Orientações e dicas para a empresa poder diminuir custos e riscos no processo de importação

Auditorias na China

Como contratar um serviço de auditoria na China para inspecionar a qualidade dos produtos, inspecionar o embarque das mercadorias, testar amostras e acompanhar o carregamento do container.

Análise de Risco Internacional

Como contratar um serviço de análise de risco internacional para obter informações e referências dos fornecedores encontrados na China e em outros países.

Referências de Prestadores de Serviços

Inclui referências de empresas que trabalham com classificação fiscal de mercadorias,  auditorias na China, logística e despacho aduaneiro.

Aviso: Este curso não aborda o tema: Importação de Serviços. Este curso é focado na importação de produtos.